• Em dois anos, mais de 3 mil produtores abandonam pecuária leiteira no RS

    Entre 2015 e 2017, Grande Santa Rosa, uma das principais regiões produtoras de leite do Rio Grande do Sul, 3,6 mil produtores de leite abandonaram a atividade. O abandono ocorreu tanto em tambos pequenos, com captação diária de 50 litros, quanto naqueles maiores, na faixa de 1 mil/dia, segundo levantamento feito pelo APL Leite realizado com base em dados da Emater.
    O faturamento das propriedades também cresceu: de 50 para 84 salários mínimos ao ano. “Quem ficou está recebendo mais, mas também está produzindo mais”, garantiu o gestor do APL Leite, Diorgenes Albring.
    O desafio agora é refinar os números sobre os custos de produção, que hoje oscilam entre R$ 0,80 e 0,90 para criação a pasto e R$ 1,10 a R$ 1,20 para confinamento na região. “Está sobrando tanto dinheiro como sobrava antes, mas esse dinheiro tem menos poder de aquisição do que antes. Aí se cria uma sensação de fracasso na atividade. O produtor não faz a conta do que é custo de produção e o que é custo da família”, diz Albrinq
    O dirigente destacou que há muito a pleitear junto aos administradores municipais no intuito de conseguir incentivos para qualificar a produção e fomentar avanços na criação de gado leiteiro. E lamentou que boa parte da captação de leite realizada na Grande de Santa Rosa não seja processada na região, minimizando a possibilidade de geração de renda e emprego local.
    Fonte: Datagro

  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário