• COMO MELHORAR A PERFORMANCE NA CRIAÇÃO DE BEZERRAS LEITEIRAS? DESCUBRA!

    Apesar de a fase de cria representar despesas para os produtores, é importante atuar nessa etapa para obter desempenho satisfatório das bezerras leiteiras. Sem um sistema adequado, são maiores as chances de mortalidade ou de gastos com medicamentos, o que representa prejuízos e perda na expressão do potencial genético desses animais.
    Sendo assim, é essencial estabelecer metodologia eficiente que garanta a nutrição e o manejo adequado dessa categoria tão importante para o sistema de produção de leite. Nos primeiros meses de vida, por exemplo, a alimentação é o item que mais onera o orçamento do criador. Nesse contexto, é preciso saber quando cada alimento deve ser fornecido, reduzindo custos, sem prejudicar o desenvolvimento dos animais.
    Neste post, apresentamos boas práticas que podem ser bastante úteis quando usadas nesse processo. Quer saber mais sobre elas? Confira!
    Como melhorar o desempenho na criação de bezerras leiteiras?
    As boas práticas incluem, principalmente, os cuidados iniciais que a bezerra deve receber logo depois de nascer, como a correta colostragem e a imediata cura do umbigo.
    Colostragem correta
    Quando se fala em colostragem, é preciso lembrar que o animal deve receber o colostro rapidamente após o nascimento. Isso porque é entre as 4 e as 6 primeiras horas de vida que se tem maior aproveitamento desse alimento— e vale lembrar que ele é interrompido em 24 h.
    Além disso, é essencial que o colostro tenha qualidade sanitária (ou seja, que não esteja contaminado) e quantidade apropriada de anticorpos. A quantidade a ser oferecida às bezerras leiteiras também precisa ser a adequada.
    Quando o animal não recebe a substância no tempo especificado, com a qualidade e na quantidade correta, ele fica imunologicamente desprotegido (essa proteção só ocorre depois da absorção do colostro). Por isso, ao fim desse processo, para se certificar de que tudo ocorreu de forma apropriada, recomenda-se medir o índice de proteína sérica no soro sanguíneo da bezerra. Em situações que a fazenda não possui colostro em quantidade e em qualidade, estratégias de utilização de substitutos (colostro bovino em pó), podem ajudar muito.
    Rápida cura de umbigo
    Quando o filhote nasce, seu umbigo fica totalmente exposto ao ambiente, tornando-o uma porta de entrada para micro-organismos. A cura deve ser feita com iodo de 7 a 10% o quanto antes: assim, evita-se que uma bactéria ou vírus entre por esse local e cause uma infecção generalizada no animal.
    Nutrição adequada durante o aleitamento
    A dieta das bezerras leiteiras deve atender às exigências da atual edição do National Research Council (NRC, 2001) para gado de leite. Nessa fase, é importante oferecer, no mínimo, 6 litros de leite para a bezerra diariamente. Antigamente, acreditava-se que 4 litros eram suficientes, mas hoje sabe-se que, quando se consideram os desafios relativos a doenças, estresse térmico e outras condições de criação, não sobram muitos nutrientes para o animal.
    Nesse contexto, vale lembrar que a quantidade de leite afeta diretamente o potencial ganho de peso das bezerras leiteiras.
    Instalações adequadas
    Oferecer conforto e bem-estar às bezerras leiteiras é essencial. Uma instalação adequada oferece proteção contra sol e chuva, espaço tapado que sirva de proteção e ambiente confortável (com palha e cobertura adequada, por exemplo). Além disso, é preciso que haja controle sanitário.
    Bom concentrado para bezerros e água
    Além do leite, é importante oferecer para as bezerras leiteiras o concentrado Ele é o responsável pela evolução ruminal do animal — ou seja, garante seu correto desenvolvimento como ruminante. Vale lembrar que o concentrado deve conter a quantidade ideal e padronizada de microminerais .
    Esse alimento deve ser fornecido desde o primeiro dia de vida da bezerra leiteira. A quantidade deve ser aumentada gradativamente por 60 dias. Nessa época, o animal já terá um consumo de concentrado de cerca de 1,5 a 2 kg por dia e, então, já estará apto a ser desaleitado.
    Água limpa e fresca também deve estar disponível a todo momento para os animais, desde o primeiro dia de idade.
    Momento certo para o desaleitamento
    Quando se faz o desaleitamento da bezerra, deve-se ter o cuidado de mantê-la por, no mínimo, uma semana na mesma instalação para evitar que se estresse muito. Se ela estiver em um sistema individual, devem ser formados grupos de, no máximo, oito animais depois do desaleitamento, para que se tenha controle das bezerras desaleitadas.
    Nesse momento, é importante que o animal tenha, pelo menos, dobrado de peso em relação ao de seu nascimento. Caso contrário, ainda não está pronto para ser desmamado. Depois disso, é preciso ficar atento à tristeza parasitária bovina, que pode surgir quando a bezerra é tirada de uma instalação e levada para o piquete.
    Além disso, deve-se manter o concentrado e introduzir uma boa fonte de volumoso, de preferência feno. Afinal, quando são feitos grupos grandes, o funcionário não consegue identificar qual animal passou pelo desmame para ter mais atenção a ele e impedir que perca tudo o que ganhou durante o aleitamento.
    Em que fase as bezerras estão mais vulneráveis a doenças?
    Os 30 primeiros dias de vida das bezerras leiteiras são os mais críticos. Logo após o nascimento, elas podem sofrer com falha de colostragem e infecções de umbigo. Em seguida, de 7 a 20 dias, vêm os primeiros desafios com diarreia e, logo em seguida, podem aparecer as pneumonias (em torno de 30 dias).
    O manejo nutricional inadequado pode, então, prejudicar a saúde do animal. Uma bezerra que não é bem-criada entra tardiamente para o ciclo reprodutivo da fazenda. Além disso, vai ser uma vaca com uma produção menor de leite, o que afeta diretamente sua reprodução e a produção da fazenda.
    Como minimizar os custos na fase inicial de aleitamento?
    A fase inicial de aleitamento não oferece retorno imediato ao produtor. Pode acontecer, então, de haver um descuido das bezerras leiteiras porque elas só vão representar algum lucro quando produzirem leite. No entanto, é justamente nessa fase que elas devem receber atenção especial para depois trazerem retorno.
    Assim, quanto melhor for esse cuidado, mais rápido a bezerra leiteira vai entrar no sistema e maior será o rendimento — o que fará todo o investimento inicial valer a pena. É importante lembrar que o animal só se paga depois de uma lactação e meia. Ou seja, quanto antes a bezerra produzir leite, mais rápido ela vai se pagar.
    Gostou das dicas? Agora que você já sabe como melhorar o desempenho na criação de bezerras leiteiras, assine nossa newsletter para receber, sempre em primeira mão, conteúdos semelhantes diretamente no seu e-mail!
    Este conteúdo foi produzido em parceria com Rafael Azevedo, Gerente de produto e Coordenador do programa Alta CRIA da Alta Genetics.
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário