• Frigorífico Boi Gaúcho embarcou 27 toneladas de carne para Hong Kong

    Um contêiner carregado com 27 toneladas de músculo traseiro bovino, que partiu do Frigorífico Boi Gaúcho – localizado em Vila Mariante, no interior de Venâncio Aires (RS), passou pelo Porto de Santos, em São Paulo, e seguiu viagem até Hong Kong, na China, se concretizou como primeira exportação de carne da história da Capital Nacional do Chimarrão.
    O embarque ocorreu em maio, intermediado por representantes do frigorífico em São Paulo e, de acordo com o proprietário do Boi Gaúcho, Neri do Nascimento, ‘foi uma experiência gratificante e que nos estimula a manter este novo mercado de negócios’.
    Nascimento  revela que, também em virtude da necessidade de atendimento ao mercado externo, a empresa precisou investir cerca de R$ 3 milhões recentemente. ‘As exigências estão cada vez mais rigorosas. Em determinado momento, eu mesmo achava que era coisa demais, mas hoje entendo toda a legislação e concordo com as regras, que nos dão o suporte para atingirmos a excelência. É um mercado competitivo e no qual não há margem de erro’, afirma.
    Com capacidade de abate de até 350 cabeças de gado por dia, o Frigorífico Boi Gaúcho projeta que o segundo semestre do ano deve ser de atingimento do pico da produção. ‘A partir de julho, temos a chamada ‘safra do boi’, que é um período em que a demanda aumenta consideravelmente e nos leva a trabalhar no limite’, diz o proprietário, acrescentando que, com as atividades sendo realizadas por 22 dias no mês – descontados os fins de semana -, até 7,7 mil cabeças de gado são abatidas no local. A produção atende, especialmente, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro, além do Rio Grande do Sul.
    Comprada em 2012 em leilão, a planta do Frigorífico Boi Gaúcho conta com mais de 10 mil metros quadrados de área construída. Além de acompanhar os avanços tecnológicos, a empresa faz ainda a adequação – com mais força nos últimos três meses – para viabilizar exportação. São 148 empregos diretos e há projeção de novas contratações, à medida que a demanda exigir.
    Conforme o gerente de vendas Jaison Alberton do Nascimento, na comparação com os seis primeiros meses de 2017, chega a 25% o incremento do número de cabeças de gado abatidas neste ano. ‘Neste primeiro semestre de 2018, foram entre 4 mil e 4,5 mil abates mensais, o que nos dá este percentual de elevação’, reforça o profissional.
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário