Burger King aposta em hambúrguer de gado com baixa emissão de metano

22 de julho de 2020

Tags:pecuaria

Na semana passada, a cadeia de fast-food Burger King anunciou um novo hambúrguer feito com carne bovina criada a partir de uma dieta que resulta em menos emissões de metano pelo gado durante sua criação e engorda. De acordo com a empresa, a dieta especial, baseada em capim-limão, foi capaz de reduzir as emissões diárias desse gás de efeito estufa em cerca de 33%.

 

O metano é subproduto do processo digestivo do gado e um dos gases de efeito estufa mais potentes, com poder de aquecimento cerca de 28 vezes maior que o do CO2. A emissão do metano pelo gado é o principal impacto da pecuária sobre o clima global e, por essa razão, especialistas e organizações ambientalistas reforçam a importância de se diminuir o consumo de carne bovina para limitar o aquecimento global. Como o Carbon Brief ressaltou, as emissões de metano crescem em ritmo recorde, o que preocupa cada vez mais os cientistas.

A novidade foi recebida com um mix de reações. Por um lado, o esforço de redução das emissões de metano é visto como um caminho possível (ainda que limitado) para a redução do peso climático do consumo de carne. Por outro lado, a iniciativa ainda é limitada e está em estágio inicial, o que limita seu impacto. A BBC destacou que alguns pecuaristas não gostaram do tom da campanha publicitária, que utilizou “clichês” sobre a pecuária de maneira grosseira. Além disso, a Popular Science cita a opinião de alguns especialistas, que chamaram a atenção para o uso pela empresa de resultados de uma pesquisa ainda em desenvolvimento, sem explicar as circunstâncias efetivas desta redução de metano. (Climainfo.org)