Entenda o PIX para o agronegócio

26 de novembro de 2020

Tags:ECONOMIA

O PIX é um sistema de pagamentos instantâneo que será lançada neste mês pelo Banco Central, com o objetivo de agilizar as transações financeiras entre pessoas físicas sem taxa tarifária (saiba mais aqui). E para o agronegócio, que benefícios essa modalidade de transação poderá trazer? O Brasil Rural falou com Nadja Heiderich, professora de economia e coordenadora do Núcleo de Estudos da Conjuntura Econômica da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) sobre o impacto do PIX para o agronegócio.

A professora explica que, para quem mora no meio rural e tem certa dificuldade de acesso às agencias bancárias, poderá contar com o PIX para fazer transações pelo celular, sem necessidade de deslocamento, o que facilita e agiliza os negócios. Um exemplo seria a compra de insumos: o produtor entra em contato com o fornecedor, transfere o valor devido sem pagar taxa, a qualquer hora e dia (o PIX permitirá transferências 24 horas em todos os dias, úteis ou não) e o dinheiro cairá na conta quase que imediatamente – ao contrário do que acontece com o DOC e o TED. Por isso, o produtor poderá receber o produto mais rapidamente.

A especialista esclarece que, nessa fase inicial, poderá ser usado até 50% do limite de transferência que pessoa tem autorizada no banco, sem limite de operações por mês. Cada correntista terá sua própria chave, um código individualizado que será utilizado para fazer as transações. Este número pode ser de celular, CPF, e-mail ou um código gerado especificamente para o PIX, e este número deverá ser informado para receber dinheiro de outra pessoa. (Radio Nacional)

Notícias relacionadas